quem sabe sou mesmo este vazio…

essas poesias sem graça

que acabam no lixo, rasgadas

as palavras que de tão repetidas

geram dúvidas e causam feridas….

quem sabe eu seja mesmo essa máquina

cruel, insensível e automática

que faz discursos de amor

e que não o vive na prática?

quem sabe mesmo nem humana eu seja

visto que não sinto, não latejo, não esbravejo…

mesmo sonhando acordada

com o simples calor de teus beijos….

(Taciana Valença)

quem sabe sou mesmo este vazio…

essas poesias sem graça

que acabam no lixo, rasgadas

as palavras que de tão repetidas

geram dúvidas e causam feridas….

quem sabe eu seja mesmo essa máquina

cruel, insensível e automática

que faz discursos de amor

e que não o vive na prática?

quem sabe mesmo nem humana eu seja

visto que não sinto, não latejo, não esbravejo…

mesmo sonhando acordada

com o simples calor de teus beijos….

(Taciana Valença)

quem sabe sou mesmo este vazio…

essas poesias sem graça

que acabam no lixo, rasgadas

as palavras que de tão repetidas

geram dúvidas e causam feridas….

Deixe uma resposta

BLOGS PARCEIROS
Blog de 1 a 10
Recanto das Letras
Blog Olhares Blog Escritaci