Sentada numa cadeira, ela pensava:
“- Eu queria morrer assim…
Aqui mesmo nesse terraço,
olhando o fim do dia.
sentindo o fim, em mim.”

Respirou fundo.
Relaxou o corpo na cadeira
E, de repente, o grito:
“- Mãaaae, a sopa tá pronta?”

– Oh meu  Deus!!!
Nem morrer eu posso!!!
(Si Cabral)

Deixe uma resposta

BLOGS PARCEIROS
Blog de 1 a 10
Recanto das Letras
Blog Olhares Blog Escritaci