O Projeto Conversando Perto de casa, através de Taciana Valença, trouxe, sábado passado (25 de abril) o grande Reinaldo de Oliveira para o auditório da Livraria Jaqueira.

O projeto faz parte do MultiVercidades, que abrange mais 4 projetos: PALAVRAS CRUZADAS, com o professor Lula Couto, ALETRAR, com o psicanalista Carlos Santos, O SUJEITO E A LEI, com a professora e psicanalista Edineide Silva e CANTO DO CONTO (que estreará dia 30 de maio), com a contadora de histórias e pedagoga Vera Nóbrega). Os projetos acontecem todos os sábados às 17h no auditório da livraria.O Multivercidades também lançará um jornal, sob a coordenação de Dinaldo Lessa, escritor e poeta que também faz parte do grupo de organizadores dos eventos.

Especificamente o Conversando Perto de Casa busca valorizar os ícones da nossa cultura, seja no teatro, cinema, música, literatura ou dança, trazendo para perto do seu público os representantes mais expressivos da cultura pernambucana.

A Homenagem a Reinaldo foi marcada por recordações, músicas, dança e muita alegria, como não poderia deixar de ser!

A abertura ficou por conta do ator Adriano Cabral, com participação da escritora Colly Holanda. Logo depois foi a vez da atriz e musicista Fabiana Guimarães, com um fantástico monólogo, acompanhada pela flauta do músico Vladimir Silva. A apresentação da bailarina Monyque Munir seguiu ao som da flauta, numa belíssima interpretação da música SORRIR (Charles Chaplin, J. Turner e G. Parsons), numa escolha mais que certa para alguém tão especial para nós.

Os convidados à mesa foram o jornalista e escritor Cássio Cavalcante e o professor e escritor Sílvio A. Costa, que através de perguntas e lembranças deram leveza a um bate papo descontraído.

O Coral do Rotary de Casa Amarela fez um grande espetáculo junto com Ivanildo Silva. Reinaldo mostrou seus dons de compositor e cantor, surpreendendo a plateia, composta também por músicos e intérpretes como Claudionor Germano e Rominho (Som da Terra).

O ator Ivanildo Silva e Clenira Bezerra de  Melo fizeram, junto com Reinaldo, um pedacinho da inesquecível peça UM SÁBADO EM TRINTA, de Luiz Marinho, arrancando risadas do público.

A presença marcante da família do  ator deu um toque de aconchego e mostrou a união e a força com as quais sempre seguiram.

Amigos como Sílvio Amorim,  e o  jurista José Paulo Cavalcanti Filho também deixaram o ator muito feliz.

Enfim, como não poderia deixar de ser a homenagem teve o espírito Reinaldo: alegre, despojado e sincero.

Sempre muito simpático, Reinaldo fez da homenagem uma festa muito especial.

A seguir, texto de Taciana Valença, lido pela mesma na ocasião. Uma brincadeira dentro do perfil do convidado.

 

A UM CERTO REINALDO

 Vou contar uma passagem

Das horas de doutor:

 

 Recebi um paciente,

Desses, pouco doente,

Que me disse assim que entrou:

Não o conheço de algum lugar, doutor?

 

Se não fosse médico

Partia para a ignorância,

E dizia:

 Em vez de tá na internet

Vendo tudo que é besteira

Vá ao Google e procure

Por Reinaldo de Oliveira!

 

 Mas calei minha brabeza

Deitei o sujeito na mesa

E me pus a apreciar –

Doente mequetrefe, que sem ter o que fazer

Vai o plano gastar,

Fazer meu tempo perder

 

 Se na praça o encontrasse

Pouparia esse desgaste

Pois com um dedin de prosa,

Da doença ia esquecer

 

 Pois trago no peito herança,

De artes e habilidades

Teatro, literatura, música e medicina

E na vida o grande palco

Que dia a dia me ensina

 

Por Diná cheguei, imposto por Valdemar

E do teatro herdei,

O gosto por representar

 

São quase oito décadas e meia

E os dias nem me cabem,

Vinte e quatro horas cheias

E não tem dia que me acabe

 

Tem gente que nem sabe

Que sou até compositor,

Com meu pai e meu irmão

Compus tanta canção

Que sou capaz de criar,

Sobre tudo que é assunto,

Pois se me encomendar

Faço até canção pra defunto

 

Já não bastasse ser cura

Também sou riso

Aliás, tirando os azeitados dias,

Sou quase um paraíso

 

 Por isso aqui estou,

Diante de um grande SALVE

Em um dia que se some

Num deleite de carinho

O sábado não é em 30,

Mas marcará profundamente

O peito deste homem

 

Pois quem junta mais de 20

Numa roda de homenagem

É um privilegiado

Num mundo de focos tantos

Em dia de malandragem

 

E como uma flecha,

O carinho me atinge

Num inesquecível sábado

Em pleno 2015!

 

Taciana Valença

 

Recife, 25 de abril de 2015

 

REGISTROS DA HOMENAGEM

 

A REINALDO

 

C Reinaldo 42

C Reinaldo 1

C Reinaldo 41

C Reinaldo 35

C Reinaldo 142

C Reinaldo 121
C Reinaldo 115

C Reinaldo 119
C Reinaldo 142

C Reinaldo 8C Reinaldo 6C Reinaldo 5C Reinaldo 10C Reinaldo 11C Reinaldo 12C Reinaldo 15C Reinaldo 17C Reinaldo 29C Reinaldo 24C Reinaldo 64C Reinaldo 66C Reinaldo 76C Reinaldo 71C Reinaldo 72C Reinaldo 73C Reinaldo 68C Reinaldo 81C Reinaldo 84C Reinaldo 91C Reinaldo 103C Reinaldo 105C Reinaldo 114C Reinaldo 110C Reinaldo 108C Reinaldo 100C Reinaldo 102

Deixe uma resposta

BLOGS PARCEIROS
Blog de 1 a 10
Recanto das Letras
Blog Olhares Blog Escritaci