Associação Pernambucana dos Amigos do Peito (APEAPE) realiza

II Campanha Seja Um Amigo do Peito

Para contar com o apoio da sociedade pernambucana e conquistar novos doadores, a Associação Pernambucana dos Amigos do Peito realiza a II Campanha Seja um Amigo do Peito, a partir deste mês. As contribuições, de qualquer valor, podem ser feitas via boleto bancário ou em espécie; basta entrar em contato por telefone ou email com a entidade. Este ano, a novidade é que a doação também pode ser debitada no cartão de débito ou crédito (Visa, Master ou Golden), e mesmo quem tem celular pré-pago pode recarregá-lo com créditos na APEAPE e destinar um bônus à entidade. Para isso, a APEAPE fechou uma parceria com o Banco Santander que disponibiliza uma maquineta móvel, que pode ser transportada até as empresas ou casas dos doadores.

A mobilização oferece uma oportunidade a quem quiser ajudar financeiramente a APEAPE, que há mais de doze anos trabalha na reintegração de mulheres carentes com câncer de mama ou mastectomizadas. “O apoio da sociedade e de instituições públicas ou privadas permite à associação realizar pesquisas, adquirir próteses, medicamentos, material cirúrgico e até mesmo equipamentos, além de promover campanhas locais de mobilização e conscientização da sociedade”, explica o presidente da entidade, o mastologista Antônio “Tota” Figueira Filho.

Exemplo disso é o movimento mundial Outubro Rosa, que tem parceria em Pernambuco com a APEAPE desde 2010, e a Semana de Prevenção de Saúde Mamária, realizada anualmente em parceria com a Sociedade Brasileira de Mastologia. “Nossa principal luta é trazer conforto e qualidade de vida para quem luta contra a doença”, explica Figueira Filho.

DIAGNÓSTICO – Ligada à disciplina de Mastologia da Universidade de Pernambuco (UPE), a entidade conta com uma equipe multidisciplinar formada por oito mastologistas, um oncomastologista, uma psicóloga, além de enfermeiras. De acordo com o presidente de honra da APEAPE, o mastologista Antônio “Tota” Figueira Filho, esses profissionais são imprescindíveis, pois o trauma psicológico de quem perde a mama é igual a perder um ente querido. “O nosso objetivo é que as pacientes se recuperem da doença não só fisicamente, mas também psicologicamente”, explica.

A APEAPE conta com o suporte médico do Ambulatório de Mastologia da UPE, onde as mulheres recebem o diagnóstico e são encaminhadas para cirurgia ou internação, de acordo com o seu quadro clínico. São realizados até 45 atendimentos por dia e uma média de vinte cirurgias, de segunda a sexta-feira. O ambulatório também acompanha o processo pós-operatório e realiza o controle oncológico, inclusive de pacientes de outros Estados.

DOENÇA – Considerada pela Organização Mundial de Saúde (OSM) uma das principais causas de óbito feminino, o câncer de mama tem cura. Quando detectado no início, o índice de sucesso com o tratamento é superior a 90%. O doutor “Tota” Figueira orienta que, ao primeiro sinal de incômodo ou caroço, as mulheres procurem um médico imediatamente. Segundo ele, idade e hereditariedade são fatores de risco. “Se a paciente tiver familiares próximos, como mãe, irmãs ou tias, portadoras de câncer, deve fazer a mamografia antes dos 30 anos”. O ultrassom mamário é aconselhável para todas as mulheres, a partir dos 25 anos e, após os 40, a mamografia deve ser feita regularmente.

As mulheres também devem fazer o autoexame todo mês, pois é uma forma eficaz de descobrir a doença no início. “O toque de mama é recomendado no quinto dia da menstruação e, naquelas mulheres que não têm útero, indica-se o dia do aniversário de cada mês como lembrete”, orienta Figueira.

Serviço:

II Campanha Seja um Amigo do Peito

Informações e Doações: (81) 3231.3675 ou 3184.1450

http://www.amigosdopeito.org/.

Deixe uma resposta

BLOGS PARCEIROS
Blog de 1 a 10
Recanto das Letras
Blog Olhares Blog Escritaci